Columbófilos querem ajudar as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande

Dado como extinto na tarde de 24 de junho, depois de 7 dias ativo, o incêndio florestal que fustigou os municípios de Alvaiázere, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, deixou marcas nas populações que a água não consegue “sarar”. A tragédia provocou 64 mortos, mais de 200 feridos, tendo as chamas alastrado aos distritos de Castelo Branco (Sertã) e Coimbra (Góis, Pampilhosa da Serra e Penela). Segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, em declarações à Agência Lusa, foram destruídos “pelo menos 52,992 hectares de floresta”, a que se juntam várias dezenas de habitações reduzidas, literalmente, a cinzas.

Em Pedrógão Grande a calamidade atingiu proporções nunca antes vistas para uma ocorrência do género. Diversas localidades foram afetadas e ficaram com marcas que nem o tempo consegue apagar mas, na hora em que parece que o cenário é o pior possível, a ajuda chegou. O povo português mostrou solidariedade em relação às populações afetadas e também os columbófilos disseram “sim” na hora de ajudar. O Leilão Solidário, que visa angariar dinheiro para ajudar as populações fustigadas pelo flagelo das chamas, conta com mais de 50 inscrições de pombos-correio até ao momento. O número está ainda distante da “meta” dos 150 borrachos, por isso a Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) decidiu prolongar o prazo de inscrições até ao próximo dia 6 de julho.

Salientamos o facto de ser possível inscrever mais do que um borracho por ofertante. O montante obtido nesta ação de solidariedade vai reverter, a 100%, para as vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande. Por cada pombo leiloado, a FPC acrescentará ao montante um donativo correspondente a 10€.

Consulte o site dedicado ao Leilão Solidário.

O Leilão Solidário vai ser feito na plataforma do site da FPC com o início a acontecer no dia 10 de Julho e o final a 17 de Julho. De salientar que a FPC está em contacto com diversas entidades Oficiais locais, no sentido de nos indicarem instituições de solidariedade social que prestem apoio à população afetada pela tragédia ou pessoas singulares que, devido às implicações decorrentes da calamidade, estão absolutamente carenciadas de auxílio no imediato.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agradecemos aos columbófilos que já participaram nesta ação e lançamos o apelo a todos os que querem contribuir no sentido de o fazerem, até ao próximo dia 6 de julho, porque, como se diz na gíria, “toda a ajuda é pouca”. A empresa POMOR associou-se à iniciativa, oferecendo o serviço de recolha dos pombos participantes junto dos ofertantes e a respetiva entrega aos compradores, em Portugal Continental, assumindo um esforço financeiro estimado em 1.500 €, para uma volumetria de 100 pombos-correio.

A lista com os columbófilos que já contribuíram para esta ação solidária.

Pode obter todas as informações e retirar  eventuais dúvidas através do email geral@fpcolumbofilia.pt ou do número 239 853 100. As inscrições podem ser feitas para o email e contacto supracitados ou online, através do preenchimento do Formulário de Inscrição.

Também o endereço-SITE FPC e o blog da FPC- https://press.fpcolumbofilia.pt/ lhe vão trazer mais pormenores sobre o Leilão Solidário.

Participe no Leilão Solidário. Juntos vamos mostrar que a columbofilia portuguesa e os columbófilos nacionais estão solidários e querem ajudar as populações afetadas pela tragédia dos incêndios, no concelho de Pedrógão Grande.