47ª Exposição Nacional – sábado

Este sábado foi mais um dia intenso na 47ª Exposição Nacional de Columbofilia, que decorre domingo, em Sangalhos, Anadia.

Da visita das entidades oficiais, como a presidente da Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, ou do presidente da Confederação do Desporto de Portugal, Carlos Paula Cardoso, entre muitos outros, à entrega de prémios pautada por momentos de emoção, sem esquecer o colóquio e o convívio entre centenas de columbófilos de todo o país.


Quem está por dentro da organização conta tudo neste vídeo da ACD Aveiro.

Juízes iniciaram a classificação na Exposição Nacional

Este fim de semana Anadia é a capital do pombo-correio! Até domingo, dia 12, decorre a 47ª Exposição Nacional no Velódromo de Sangalhos.

Os juízes começaram, na manhã desta sexta-feira, a classificação dos pombos standard. No recinto esteve presente uma equipa de televisão a acompanhar os principais passos e a descobrir como é a paixão pela columbofilia.

Ainda durante a manhã, a Exposição recebeu a visita de alunos do agrupamento de escolas de Anadia. Quem sabe não se entusiasmam e se tornam futuros columbófilos?

47ª Exposição Nacional arranca em Anadia

Já arrancou a 47ª Exposição Nacional de Columbofilia, em Sangalhos, Anadia. Até domingo, dia 12, são mais de três centenas de pombos que estão em competição naquele que é um dos eventos de maior relevo da columbofilia nacional.

Esta quinta-feira foram recebidos os pombos-correio que vão estar em competição nas classes standard e sport.

O Centro de Alto Rendimento de Anadia / Velódromo de Sangalhos está preparado para receber em grande toda a componente desportiva, mas também muitos momentos de animação. Confira aqui o programa.

Veja as primeiras fotos do evento e não deixe de fazer parte desta iniciativa, organizada, este ano, pela Associação Columbófila do Distrito de Aveiro, em parceria com a Federação Portuguesa de Columbofilia e o Município de Anadia.

4 janeiro 2020- Dia histórico para a FPC

O dia 4 de janeiro de 2020 ficará para sempre na história da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) pela aprovação, por unanimidade, da alteração da sede social de Coimbra para Mira.

Em entrevista, José Luís Jacinto, presidente da federação, congratula-se com a decisão e destaca a importância que tem para o desporto columbófilo.

No momento, a FPC quis também prestar homenagem a todos os que fizeram da instituição aquilo que é hoje e por isso convidou os antigos presidentes, Lusitano Espinhal, José Tereso e Artur Carvalho Gomes. José Luís Jacinto explica a decisão dizendo que é importante não esquecer o papel que todos os columbófilos representam para a estrutura.

José Luís Jacinto mostra ainda total abertura e transparência para encontrar uma solução para a atual sede que vá ao encontro do desejo dos columbófilos.

Veja aqui a entrevista, registada no final do congresso que decorreu no Mira Center e onde, a partir de agora passará a funcionar a sede da FPC.

Aprovada alteração da sede social da FPC para Mira

A decisão histórica foi tomada no edifício Mira Center – Centro de Ciência e Iniciativas Empresariais de Mira onde passará a funcionar a sede e todos os serviços da FPC.

Os congressistas tiveram a oportunidade de, numa visita guiada, conhecer o espaço, amplo e bastante iluminado, que conta com vários serviços de apoio, como sala de reuniões e refeitório, que estarão também a partir de agora ao serviço da FPC e dos columbófilos.

A alteração da sede social foi votada de forma unânime, com vários columbófilos a congratularem-se com as novas e modernas instalações e a felicitarem a federação pela iniciativa.

Para a reunião foram convidados os antigos presidentes vivos da FPC Lusitano Espinhal, José Tereso e Artur Carvalho Gomes, tendo este último estado ausente por motivo de doença. “É um sinal de homenagem a todos os presidentes, a todos os que com eles trabalharam e a todos os columbófilos do país que nos permitiram chegar onde chegamos hoje”, explicou José Luís Jacinto, atual presidente da direção da FPC.

O responsável destacou o “papel fundamental” do diretor de serviços da instituição, Joaquim Lopes, do município de Mira e do seu presidente, Raul Almeida, para a concretização desta mudança que representa um “marco fundacional para a melhoria da qualidade dos serviços e atividades desenvolvidas pela FPC, com vista ao engrandecimento do desporto columbófilo”.

A FPC tinha até agora a sua sede social em Coimbra, mas as boas relações com o município de Mira e a proximidade com o Columbódromo Gaspar Vila Nova, em Portomar, no mesmo concelho, propriedade da FPC, ditaram a necessidade de mudança que agora se concretiza.

Maior discussão mereceu o destino a dar às frações onde até agora funcionou a sede, no edifício Fernão de Magalhães, em Coimbra, e a uma garagem, nas proximidades. As propostas de deliberação acabaram por ser aprovadas com cinco votos contra e quatro abstenções, no que se refere aos escritórios, e cinco votos contra e duas abstenções, no que respeita à garagem.

A direção da FPC ficou assim mandatada para contratar um perito avaliador inscrito na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários para proceder à avaliação das frações, com vista à sua eventual venda conjunta ou separada. Ficou ainda com a responsabilidade de encetar diligências no sentido de encontrar comprador para cada uma ou para as duas frações.

Por proposta da direção, a realização da venda fica condicionada a deliberação de congresso a convocar para o efeito.

No âmbito das mesmas deliberações, foi ainda definido que, face a eventual demora que exista em encontrar comprador para as frações, se e quando assim considere conveniente, a FPC poderá arrendar os espaços e que o produto líquido (deduzidos os impostos, os encargos e as despesas que haja a suportar) da venda ou do arrendamento das frações autónomas identificadas, conjunta ou separadamente, seja cativado em conta específica, cuja utilização só possa ser realizada mediante aprovação do Congresso.

Seguindo a linha de transparência que carateriza a direção da FPC, no final da reunião, José Luís Jacinto, assegurou aos presentes que irão ser averiguados os valores concretos do custo de obras nas frações, o valor de venda no seu estado atual, e após uma intervenção, e por quanto seria possível alugar os espaços, comprometendo-se a prestar essa informação num próximo encontro.