Estudo diz que aves não são suscetíveis à Covid-19

Os primeiros resultados de estudos muito recentes realizados no Instituto para a Saúde Animal Friedrich-Loeffler-Institut, na Alemanha, dão conta que as aves não são suscetíveis à infeção por SARS-CoV-2 (Covid-19).

Numa publicação datada de 2 de abril, os cientistas afirmam que “sob condições experimentais”, e de acordo com o conhecimento atual, as aves “não são afetadas pelo vírus” e portanto “não representam um potencial risco para a saúde humana”.

Leia a publicação do Friedrich-Loeffler-Institut* na íntegra, clicando no link

https://fpcolumbofilia.files.wordpress.com/2020/04/novo-coronavc3adrus-sars-2.pdf

*Documento traduzido pelo Gabinete de Comunicação da FPC, com a colaboração do médico e columbófilo Dr. David Barros Madeira

Entregas diretas de pombos em Mira não autorizadas

A Direção da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) emitiu a 6 de abril um comunicado através do qual alerta que, face à declaração do estado de emergência nacional, devido à pandemia de Covid-19, e enquanto o mesmo se encontrar em vigor, não poderão ser entregues pombos diretamente por columbófilos no Columbódromo Internacional Gaspar Vila Nova, em Mira.


O comunicado estabelece ainda que durante este período, perante as restrições impostas pelo estado de emergência, só serão aceites pombos entregues através de empresas de transporte devidamente habilitadas para o transporte de animais.


A FPC sublinha ainda que caso algum columbófilo desobedeça às restrições impostas pelo estado de emergência e se desloque ao Columbódromo Gaspar Vila Nova para entregar pombos, estes não serão aceites.

Pela segurança de todos, a FPC conta com a colaboração e compreensão de todos os columbófilos.

Federação prepara manual de procedimentos seguros e prevê regresso à atividade desportiva em maio

Depois de no passado dia 16 de março, na sequência da pandemia de Covid-19, a Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) ter declarado a suspensão temporária de toda a atividade desportiva, encetou um conjunto de diligências no sentido de preparar a estrutura para um regresso ao ativo com o máximo de rigor e segurança. O objetivo é que os columbófilos possam retomar a atividade, o que se perspetiva que venha a acontecer na primeira quinzena de maio, mas que o façam evitando riscos para a saúde de todos. Para isso, a Direção da FPC está a preparar um manual de boas práticas e procedimentos seguros.

A Direção da FPC reuniu, este domingo, por videoconferência, com todas as associações distritais para avaliar a atual situação da modalidade e definir estratégias a adotar num futuro próximo.

 

A FPC tem vindo a acompanhar, de perto, o desenvolvimento da atual situação vivida pelo país em resultado da pandemia provocada pelo novo coronavírus – Covid-19, tendo como primeira preocupação fundamental a salvaguarda da segurança e saúde de todos.

Mas à FPC compete também pensar e delinear o futuro da columbofilia e dos seus praticantes e por isso a instituição tem vindo a desenvolver todas as diligências necessárias à preparação para um tempo de regresso à normalidade e de retoma segura da atividade desportiva dos columbófilos.

Sabe-se que quando tal acontecer, todos teremos, ainda, que ser rigorosos na adoção de comportamentos seguros e que permitam prevenir riscos para a saúde. Assim, perspetivando-se como possível que o regresso da atividade desportiva ocorra por volta da primeira quinzena de maio, a Direção da FPC está a preparar um manual com linhas orientadoras sobre procedimentos seguros a adotar durante a época desportiva, que distribuirá por toda a estrutura federativa. O documento está a ser elaborado com a colaboração de uma empresa certificada que está a trabalhar em estreia ligação com a FPC.

A Direção da Federação Portuguesa de Columbofilia desenvolverá todos os esforços necessários à adaptação da campanha desportiva a estes tempos excecionais, contando com a resiliência já demonstrada de todos os columbófilos.

Vivemos tempos de mudança constante, pelo que todas as decisões e informações relevantes irão sendo prestadas aos columbófilos de forma transparente, nos canais habituais (site, blogue e Facebook da FPC), como tem vindo a ser feito.

Declaração de localização de pombal

A Federação Portuguesa de Columbofilia informa todos os columbófilos com pombos recenseados que, no âmbito das suas deslocações, durante o período em que vigore o Estado de Emergência, necessitem de atestar a localização do seu pombal, poderão emitir uma Declaração de Localização de Pombal, através do Portal do Columbófilo em: http://columbofilo.fpcolumbofilia.pt/

A declaração inclui a identificação do columbófilo, o número de pombos recenseados, as coordenadas e a morada do pombal, obtida por georreferenciação reversa, assim como um código de síntese que permite a terceiros verificar a integridade do documento.

No caso em que os pombos estão inscritos em nome de uma sociedade, a declaração deverá ser emitida através da licença da própria sociedade, designando um dos sócios constituintes como titular da declaração.

Se o columbófilo não se puder deslocar ao pombal e desejar delegar o tratamento dos pombos noutra pessoa, poderá redigir uma declaração nesse sentido. É também disponibilizado no Portal do Columbófilo um modelo de declaração de tratador que poderá ser utilizado para o efeito.

Sempre que possível fique em casa. Proteja-se. Proteja os outros.

Federação Portuguesa de Columbofilia adquire Columbofilia.Net

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) adquiriu o portal Columbofilia.Net, e é agora a responsável pela administração e manutenção desta ferramenta ao serviço dos columbófilos.

A aquisição do portal, que foi fundado em 2006 pela Duodata.Net, em parceria com a FPC, insere-se no processo de internalização dos serviços informáticos já iniciado pela federação em 2019.

O portal será entretanto alvo de algumas alterações que procuram melhorar a resposta e servir de forma mais eficiente a estrutura columbófila. Nesse sentido, todos os que assim o entendam podem fazer chegar as suas opiniões e sugestões, através da página de contactos do site.

Este projeto constitui-se como um importante instrumento que a FPC coloca à disposição de cada coletividade e associação distrital, permitindo-lhes usufruir de um site institucional e facilitando a comunicação com os associados.

Através do Columbofilia.Net, as coletividades e associações têm a possibilidade de publicarem informação institucional na Internet, num site próprio alojado em servidores de alta qualidade e elevada disponibilidade, e de divulgarem as suas classificações de forma atempada num sistema profissional. Além disso, o portal ajuda os columbófilos a localizarem facilmente as coletividades e associações online, através de um endereço próprio atribuído a cada instituição e de um diretório onde se encontram todas as instituições que utilizam o portal.

Ao concretizar esta aquisição, a FPC não quis deixar de agradecer à Duodata a forma como conduziu todo o processo desde a implementação do portal até à total transferência de responsabilidades.