FPC disponibiliza plataforma de leilões online

A Federação Portuguesa de Columbofilia acaba de lançar um novo projeto, através do qual disponibiliza às associações e coletividades a sua plataforma online para a realização de leilões.

Além do suporte tecnológico, com esta nova valência, a FPC disponibiliza também todo o apoio logístico, através dos seus serviços, bem como a divulgação e comunicação dos leilões.

Para o diretor desportivo da FPC, Almerindo Mota, “esta é uma forma da Federação apoiar a estrutura e ajudar à dinamização das associações e das coletividades”. A intenção, acrescenta ainda o responsável, é que “todos possam usufruir da plataforma e dos serviços da Federação”, tendo sempre em mente o objetivo de “valorizar a apoiar a columbofilia nacional”.

Através da plataforma, os columbófilos podem, entre outras opções, consultar as informações e palmarés dos pombos em leilão, bem como ver as fotografias e conhecer os respetivos pedigrees.

O projeto “Leilões Online” acaba de estrear e já está a decorrer o leilão de borrachos que participaram no Derby ACD Aveiro 2020, onde se incluem os pombos participantes na Liga dos Campeões Aveirenses.

São 134 pombos, divididos em dois lotes de 67 exemplares. O lote A está em licitação até às 22H00 do dia 4 de agosto e o Lote B até à mesma hora do dia seguinte.

Aceda ao leilão em http://www.fpcolumbofilia.pt/LeilaoACDAveiro/

Anilhas oficiais 2020 com anomalias

Chegou ao conhecimento da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) a existência de anomalias com as anilhas oficiais de 2020, nomeadamente a perda de cor de alguns dígitos e a existência de anilhas duplicadas. Nesse sentido, a Direção da FPC emitiu um comunicado onde informa todos os columbófilos que a situação já foi reportada ao fabricante para que sejam tomadas as diligências necessárias no sentido de eliminar problemas similares na produção das anilhas para 2021.


Relativamente às anilhas de 2020 com anomalias, a FPC irá analisar e solucionar as situações caso a caso, procedendo à troca de anilhas defeituosas ou ao reanilhamento de pombos, conforme necessário.

Assim, a Federação solicita aos columbófilos que tenham verificado as anomalias referidas que contactem os serviços da FPC para dar conhecimento da situação, para posterior tratamento. No caso de anilhas ainda não utilizadas, deverão remetê-las de forma a poderem ser substituídas.


Os casos deverão ser apresentados à FPC até ao final do mês de setembro de 2020. No
decurso do mês de outubro serão dadas indicações aos associados para solucionar as referidas anomalias.

Leia aqui o comunicado oficial da FPC.

Alterações na época desportiva 2021

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) decidiu ouvir os columbófilos, através de um inquérito divulgado no Facebook , sobre o futuro da columbofilia durante e após a pandemia de Covid-19. Nesse sentido, e depois de analisar as respostas dos participantes, foram tomadas algumas decisões relativas à época desportiva 2021.

No referido questionário, foram sugeridas várias alterações ao modelo desportivo. No entanto, e independentemente do mérito das ideias recolhidas, a Direção da FPC entende que, no atual contexto de contenção financeira, seria um contrassenso implementar todas estas medidas, parte das quais envolvem mais custos para os concorrentes e para a estrutura columbófila. Ainda assim, a FPC reconhece que é possível fazer alterações pontuais, no sentido de aproximar o modelo competitivo às pretensões transmitidas pelos columbófilos.

A Direcção da FPC decidiu, então, retirar o limite de 130 pombos por equipa e alterar o número limite de pombos a enviar a fundo, no campeonato do columbófilo, de 15 para 20 (modelo 25-25-20).

Além disso, a Direção da FPC manter-se-á atenta às necessidades da estrutura columbófila para que os columbófilos possam continuar a concorrer em condições de segurança sanitária e, sempre que necessário, colocará os bens angariados no projeto Asas Solidárias à disposição dos que deles necessitem.

A FPC está ainda a analisar e estudar formas de mitigar as dificuldades financeiras dos columbófilos mais afetados pela conjetura económica decorrente da pandemia.

RESULTADOS DO QUESTIONÁRIO ONLINE

Futuro da Columbofilia durante e após a pandemia COVID-19

Durante cerca de três semanas, a Federação Portuguesa de Columbofilia colocou online o questionário “O Futuro da Columbofilia durante e após a pandemia COVID-19”, com o intuito de recolher a opinião dos columbófilos sobre formas de ultrapassar os novos desafios que se colocam à modalidade e reforçar a competitividade do desporto nos próximos anos.

Das respostas recolhidas, destacam-se as seguintes temáticas, com maior número de referências:

  • Cuidados sanitários para evitar a propagação da Covid-19;
  • Aumento do número de provas, com vista ao estabelecimento de campeonatos de especialidade (com eventual manutenção do campeonato geral, através de designação de provas);
  • Redução de custos para os sócios;
  • Igualar o número de pombos a enviar por especialidade;
  • Retirar o limite de 130 pombos por equipa;
  • Realização de mais provas nacionais (possivelmente com soltas distintas);
  • Terminar ou limitar o número de pombos extra a contar para o pombo ás e/ou pombos a treino

Nos gráficos em baixo, pode visualizar o perfil dos participantes:

A FPC agradece a todos os que se disponibilizaram a colaborar e continuará atenta às necessidades de todos os columbófilos tendo em vista o engrandecimento da modalidade.

Sala Joaquim Lopes na nova sede da FPC

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) deliberou, em Assembleia Geral, atribuir o nome Joaquim Lopes, Diretor de Serviços da instituição, falecido no passado dia 5 de março, a uma das salas da nova sede social, localizada em Mira.

Joaquim Lopes tinha 60 anos e estava na FPC desde 1989. Dedicou 30 anos à Columbofilia de forma absolutamente competente, perspicaz e apaixonada.

“É um tributo que nós columbófilos devemos prestar à pessoa que, de há muitos anos para cá, mais trabalhou, bem, em prol da Columbofilia”, referiu José Luís Jacinto, presidente da FPC ao propor a nomeação da sala.

“Foi uma pessoa que me habituei a admirar pela capacidade que tinha de juntar e não dividir, pela capacidade que tinha de avaliar cada situação e, sem se impor, apontar o melhor caminho, sugerindo soluções, de uma forma conhecedora e tranquila”, acrescentou o responsável.

Para José Luís Jacinto, “o grande sucesso da Federação deve-se muito ao Joaquim Lopes” e, nesse sentido, a atribuição do seu nome a um dos espaços da nova sede social é “um pequeno símbolo, da gratidão de todos” e uma forma de “contribuir para que seja perpetuado no seio dos columbófilos”.

A proposta da direção da FPC foi votada em assembleia e aprovada por unanimidade com aclamação por sugestão de Lusitano Espinhal, presidente da direção da Associação Columbófila do Distrito de Coimbra.

Refira-se que em janeiro deste ano, a FPC assinou um contrato de arrendamento com a Câmara Municipal de Mira, tendo em vista a mudança da sede social de Coimbra para o Mira Center.

Na altura, José Luís Jacinto considerou a mudança de Coimbra para Mira como “um marco funcional para a melhoria da qualidade dos serviços e atividades desenvolvidas pela Federação, com vista ao engrandecimento do desporto columbófilo”.

Já Raul Almeida, autarca de Mira sublinhou que a instalação da FPC em Mira permitiu o aumento de 10 postos de trabalho.

Recorde o vídeo de homenagem da FPC a Joaquim Lopes

Pensar a Columbofilia pós Covid-19: FPC lança inquérito

Reconhecendo que a pandemia provocada pela Covid-19 colocou novos desafios à prática da modalidade, a Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) preparou um questionário para que todos os columbófilos possam dar o seu contributo.

A FPC acredita que este é “o tempo de pensar o futuro da Columbofilia” e apela à participação de todos os columbófilos.

Como ultrapassar os desafios pós Covid-19 e reforçar a competitividade do desporto columbófilo nos próximos anos são algumas das questões em análise. A intenção da FPC é que as opiniões fundamentadas e construtivas sejam apresentadas publicamente e discutidas em Congresso.

O inquérito, que poderá respondido sob anonimato se os participantes assim o entenderem, está disponível em: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSed9WlajwLuhUPxU_4YJb5ErLDp2VplubRfP3YGU05kzJiUwA/viewform

Com esta iniciativa, a FPC pretende não só alargar a discussão sobre o futuro do desporto columbófilo, mas também permitir o envolvimento de todos em decisões que serão fundamentais para a forma como a modalidade vai encarar os desafiantes tempos que se avizinham.

Columbofilia regressa à competição

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 40-A/2020, de 29 de Maio, veio permitir o regresso à competição a partir de 1 de Junho de 2020, depois da interrupção devido à pandemia de Covid-19. Nesse sentido, devendo assegurar-se o cumprimento das regras previstas na legislação em vigor, bem como as determinadas pelas orientações da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Em comunicado emitido esta quarta-feira, 3 de Junho, a Federação Portuguesa de Columbofilia informa que “prestará toda a colaboração que se revelar útil às Associações e Coletividades nesta fase de adaptação, principalmente para a identificação das ações necessárias para mitigar a propagação da pandemia”.

A FPC divulgou ainda o Plano de Contingência atualizado, que está disponível em:
http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2338

E as orientações da Direcção-Geral da Saúde, afirmando que devem ser “escrupulosamente seguidas”:
http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2339

No documento, a Direção da FPC salienta que as orientações divulgadas não substituem a legislação em vigor e as regras e orientações que vão sendo publicadas pela Direção-Geral da Saúde, recomendando a todos o acompanhamento permanente do site da Direção-Geral da Saúde.

A FPC aproveita ainda para desejar “um feliz regresso à competição columbófila, relembrando que cabe a todos garantir o cumprimento das regras de saúde pública”.

Olimpíadas adiadas para 2022

A Federação Columbófila Internacional (FCI) comunicou à Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) a decisão de adiamento das XXVII Olimpíadas de Columbofilia, previstas para janeiro de 2021, estando agora a sua realização calendarizada para janeiro de 2022, na Roménia.

A decisão deve-se ao atual contexto causado pela pandemia de Covid-19, que tem levantado constrangimentos aos desporto columbófilo em todo o mundo.

A FCI informou que os ajustes às fórmulas de apuramento ainda estão em estudo, sendo possível que o cálculo venha a ter em conta as classificações obtidas nos anos 2019 e 2021, em substituição dos habituais dois anos que antecedem as olimpíadas.

Destacando o período difícil que a columbofilia atravessa em todo o mundo, com o cancelamento de provas, o presidente da FCI, Istvan Bardos, considera que a organização do Campeonato Mundial FCI em Arad, na Roménia, e do Campeonato Europeu FCI em Mira, Portugal, é o primeiro raio de esperança para o desporto, depois de meses em que todos os esforços se concentraram em lutar contra o vírus e salvar vidas.

“O vírus e a pandemia fizeram-nos perceber que não estamos sozinhos, que nos apoiamos e que a solidariedade entre os columbófilos e os líderes das federações é muito forte”, conclui o responsável máximo da FCI, sublinhando que agora é tempo “da FCI e das federações nacionais prepararem a Columbofilia pós-Covid-19”.

Desafio da Quarentena chega ao fim

O Desafio da Quarentena – #pigeonscovidchallenge – lançado pela Federação Portuguesa de Columbofilia a 9 de abril de 2020 chegou ao fim cerca de um mês depois, sagrando-se um verdadeiro sucesso.

A iniciativa foi criada para incentivar e aproximar os columbófilos no período de isolamento, devido à pandemia provocada pelo vírus SARS-CoV-2 (Covid-19). Até ao dia 4 de maio, o desafio contou com mais de uma centena de participações, entre fotografias e vídeos, que mostraram que a Columbofilia está bem viva, continua a unir gerações e a despertar paixões em pequenos e graúdos.

Entre os participantes, a FPC registou columbófilos de norte a sul do país, mas também das ilhas e até do estrangeiro, nomeadamente Luxemburgo e Suíça. Inicialmente a FPC determinou que o vídeo mais original e a foto mais criativa ganhariam a inscrição de um pombo no Grand Prix, a disputar em Mira, no valor de 100€. No entanto, tendo em conta o êxito do #pigeonscovidchallenge e a dificuldade em escolher apenas uma entre tantas imagens fantásticas, a federação decidiu colocar à votação do público cinco fotografias e cinco vídeos finalistas, deliberando também atribuir o prémio não só ao primeiro classificado de cada categoria (foto e vídeo), mas também ao segundo.

A votação foi contabilizada através do número de likes obtidos até às 24H00 de domingo, dia 10 de maio de 2020 em cada fotografia e vídeo finalistas.

Os vencedores foram:

Categoria de Fotografia

1ºprémio Foto 1 – André e Jorge Farinha – 309 votos
2.ºprémio Foto 4 – João Paulo Valente – 289 votos

Restantes classificações:
3º Foto 2 – Avelino Gouveia – 184 votos
4º Foto 3 – Carvalho e Figueiredo – 44 votos
5º Foto 5 – Mário Carlos Areosa – 32 votos

Veja aqui todas as fotografias participantes:

Vídeo
1º prémio Vídeo 2 – Cesário & Abílio Pereira – 460 votos
https://www.facebook.com/1173090142871618/videos/237957584212013/

2ºprémio Vídeo 3 – João Paulo Valente – 336 votos
https://www.facebook.com/1173090142871618/videos/1342188542638205/

3º Vídeo 4 – Marco Ferreira – 270 votos
4º Vídeo 5 – Rafael e Marco Maciel – 133 votos
5º Vídeo 1 – António Livramento – 7 votos

Veja aqui todos os vídeos:

https://www.facebook.com/pg/Federação-Portuguesa-de-Columbofilia-1173090142871618/videos

A Federação Portuguesa de Columbofilia agradece a todos os que participaram, votaram e partilharam as fotografias e vídeos e permitiram invadir as redes sociais de imagens incríveis, neste período de confinamento, mostrando que a Columbofilia é uma paixão única e que ultrapassa todas as barreiras.

Equipamento de proteção entregue às associações

No âmbito do projeto Asas Solidárias, foi entregue esta segunda e terça-feira, dias 04 e 05 de maio, o equipamento de proteção individual que visa reforçar a segurança de todos os columbófilos no reinício da atividade desportiva, após o levantamento do estado de emergência, que esteve em vigor devido à Covid-19.

Com o apoio das empresas GPLoft, Benzing, Pedro Porto e da equipa Sobrinca, foi possível proceder à entrega de viseiras de proteção individual e álcool gel desinfetante de mãos a todas as associações columbófilas. O equipamento será canalizado pelas referidas associações para as diversas coletividades.

A FPC continua a trabalhar com os seus parceiros no sentido de reforçar as medidas de segurança, lembrando que cabe a cada um garantir a sua proteção e a dos que o rodeiam e sublinhando que é imperativo seguir as recomendações das autoridades de saúde e o Plano de Contingência implementado pela FPC.

Entrega de pombos em Mira volta a estar disponível

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) informa que, terminado que está o período de Estado de Emergência Nacional, já é possível voltar a entregar pombos diretamente no Columbódromo Internacional Gaspar Vila Nova, para efeitos de competição nos Campeonatos Internacionais de Mira 2020.

A FPC solicita, no entanto, que sejam cumpridas as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS), nomeadamente no que respeita ao uso de Equipamento de Proteção Individual, bem como à prática de distanciamento social e etiqueta respiratória.


Em alternativa, poderão ser utilizadas empresas de transporte devidamente habilitadas para o transporte de animais.

Para mais informações, pode consultar as Condições Gerais dos campeonatos.