FPC pede esclarecimentos sobre novo confinamento às autoridades

Após o anúncio público das medidas de confinamento foi publicado o Decreto n.º 3-A/2021, de 14 de Janeiro, que regulamenta o estado de emergência. As especificidades do desporto columbófilo e a redação da lei não permitem uma interpretação clara e indubitável da aplicação desta norma à Columbofilia.

A Federação Portuguesa de Columbofilia solicitou, com carácter de urgência, um esclarecimento às autoridades competentes sobre a aplicação do decreto à modalidade. Até à obtenção do esclarecimento solicitado, 𝐚 𝐅𝐏𝐂 𝐫𝐞𝐜𝐨𝐦𝐞𝐧𝐝𝐚 𝐯𝐞𝐞𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞𝐦𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐪𝐮𝐞 𝐭𝐨𝐝𝐨𝐬 𝐨𝐬 𝐩𝐫𝐚𝐭𝐢𝐜𝐚𝐧𝐭𝐞𝐬 𝐬𝐞 𝐚𝐛𝐬𝐭𝐞𝐧𝐡𝐚𝐦 𝐝𝐞 𝐫𝐞𝐚𝐥𝐢𝐳𝐚𝐫 𝐬𝐨𝐥𝐭𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐩𝐨𝐦𝐛𝐨𝐬-𝐜𝐨𝐫𝐫𝐞𝐢𝐨 𝐞 𝐚𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐚𝐨 𝐜𝐮𝐦𝐩𝐫𝐢𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 𝐝𝐚𝐬 𝐧𝐨𝐫𝐦𝐚𝐬 𝐝𝐞 𝐬𝐚𝐮́𝐝𝐞 𝐩𝐮́𝐛𝐥𝐢𝐜𝐚 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐩𝐫𝐨𝐭𝐞𝐜̧𝐚̃𝐨 𝐝𝐞 𝐭𝐨𝐝𝐨𝐬.

O comunicado oficial está disponível em: http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2395

Cuide de si cuide dos outros!

Fique em casa e cumpra as normas das autoridades!

Em breve voltaremos a voar!

Hernâni José Carvalho fala da paixão pela Columbofilia

Hernâni José Carvalho| Foto: Jornal Notícias de Vila Real

Hernâni José Carvalho, antigo presidente da direção da Sociedade Columbófila de Vila Real, considera que “é fundamental divulgar o pombo-correio e mostrar à sociedade que o pombo é um atleta de competição e deve ser tratado como tal”.

O columbófilo e dirigente garante que não perde uma oportunidade para dar a conhecer o que é a Columbofilia, seja junto de escolas, em momentos de lazer ou até em eventos religiosos. “Ainda há quem tenha medo dos pombos porque confunde os pombos-correio com os pombos comuns, que andam nas ruas, e é da máxima importância que se difunda e divulgue a Columbofilia”, disse em declarações à Federação Portuguesa de Columbofilia.

Em relação aos momentos difíceis que se vivem na modalidade, por força da pandemia, Hernâni José Carvalho está otimista. “Acredito que vamos conseguir vencer”, garante.

Recentemente, o columbófilo deu uma entrevista ao jornal Notícias de Vila Real onde conta como se apaixonou pela Columbofilia. Leia aqui a reportagem.

“Mira é um orgulho para os columbófilos portugueses”

O pombo 0132217/20, propriedade de Arménio Jesus Oliveira, foi o grande vencedor do Torneio Ibero Latino Americano (AILAC) que decorreu no âmbito dos Campeonatos Internacionais de Columbofilia Mira 2020. Com o mesmo pombo, o columbófilo português conquistou o terceiro lugar no Campeonato da Europa.

Em entrevista à Federação Portuguesa de Columbofilia, Arménio Jesus Oliveira mostra-se orgulhoso com os resultados obtidos e garante que para o ano quer voltar a Mira, onde considera que se realizam das melhoras provas da Europa.

Ver a imagem de origem

Este prémio enche-nos de orgulho pela dedicação que temos tido aos pombos ao longo de todos estes anos

F.P.C. – Que expetativas tinha quando decidiu inscrever este pombo-correio nos campeonatos de
Mira?

Arménio Jesus Oliveira – Fazer a melhor classificação possível.

Que importância tem este resultado para a si?
Este resultado tem muita importância, porque dá-nos orgulho de toda a dedicação que temos
aos pombos todos estes anos.

Foi a primeira vez que esteve representado na competição de Mira? Acompanhou a
prova?

Não foi a primeira vez. Sim, acompanhei do início ao fim.
Que opinião tem sobre os Campeonatos Internacionais de Columbofilia, realizados em
Mira desde 1997?

Há muitos anos que costumamos assistir à final ao vivo, mas este ano devido à pandemia não foi
possível. Na minha opinião é dos melhores campeonatos da Europa devido à competição que envolve.
É um orgulho para os columbófilos portugueses!

Ver a imagem de origem

Mira é dos melhores campeonatos da Europa devido à competição que envolve. É um orgulho para os columbófilos portugueses!


No futuro pretende voltar a competir em Mira?
Sim, sempre que possível pretendo competir em Mira.

Quais são as características que, no seu entender, mais se evidenciam nos seus pombos?
São pombos mais direcionados para velocidade e meio fundo.

Que mensagem gostava de deixar aos columbófilos que estiveram a competir em Mira?
Fomos todos uns vencedores e que para o ano não desistam de competir nos campeonatos de
Mira.

Sérgio Almeida: “Vencer Mira é uma sensação mágica e única”

Ver a imagem de origem

Ganhar em Mira foi, por um lado, a concretização de um sonho de menino e, por outro, consegui espelhar a qualidade da minha reprodução exigente e otimizada, fruto de quatro anos de trabalho de columbicultura.

Sérgio Almeida – Sawings

A Sawings, de Sérgio Almeida, conquistou o primeiro lugar Pombo Ás no FCI Grand Prix Mira 2020. “Foi um sonho de menino concretizado”, diz o columbófilo que nos últimos anos se tem dedicado à columbicultura, criando pombos com “grande índice de resistência e inteligência”. Sobre Mira, Sérgio Almeida não tem dúvidas: tem uma organização de excelência o que o torna o melhor derby realizado em Portugal e um dos melhores da Europa.

Que expetativas tinha quando decidiu inscrever este pombo-correio nos campeonatos de
Mira?

A expectativa era efetivamente alta, face ao tipo de pombos enviados para a competição
tendo como critérios de seleção barómetros de pombos ganhadores em diversos pombais de
Norte a Sul do País. Mas como em todos os desportos, a sorte tem que estar presente… a tal
estrelinha da sorte!

Que importância tem este resultado para a si?
Pessoalmente, um sonho de menino realizado. Por outro lado penso que consegui espelhar a
qualidade da minha reprodução exigente e otimizada, fruto de quatro anos de trabalho de
columbicultura.

Foi a primeira vez que esteve representado na competição de Mira? Acompanhou a
prova?

Iniciei a minha estreia em dérbis em 2018, curiosamente no Derby de Mira! Apenas participei
com um pombo conseguindo um honroso 30º na Final do Grande Prémio FCI Portugal, obtendo
o 11º Pombo Ás do Grande Prémio FCI Portugal. Acompanhei religiosamente os resultados
graças ao vosso sistema de SMS e no site da Benzing. Na altura, acabei por assistir à final com a
minha esposa no Columbódromo de Mira, tendo antecipadamente efetuado reserva no Hotel
Quinta da Lagoa e mesa para a bonita Gala que se realizou durante a noite.

Que opinião tem sobre os Campeonatos Internacionais de Columbofilia, realizados em
Mira desde 1997?

Acompanhei desde sempre os Campeonatos de Mira sem lá ter pombos. Na altura era um
miúdo estudante, e não tinha poder económico para enviar pombos para os Campeonatos de
Mira, pois a mesada dos meus pais não dava para tudo. Sempre foi um sonho de menino
enviar e ganhar, sinceramente! Sempre marquei presença neste evento pela confraternização
com amigos e colegas, e claro pelo espetacular ambiente fantástico que se vive nesta festa da
columbofilia. Arrisco-me a dizer que o Derby de Mira tem atualmente uma organização de
excelência. Na minha modesta opinião foi o melhor derby realizado em Portugal e talvez na
Europa em 2020!

Ver a imagem de origem

Arrisco-me a dizer que o Derby de Mira tem atualmente uma organização de
excelência. Na minha modesta opinião foi o melhor derby realizado em Portugal e talvez na Europa em 2020!

No futuro pretende voltar a competir em Mira?
Sim, sem duvida! É um derby muito competitivo com várias nacionalidades presentes, onde se
“mede forças” com os melhores columbófilos do Mundo.

Quais são as características que, no seu entender, mais se evidenciam nos seus pombos?
Como columbicultor tento otimizar pombos para as especialidades de Velocidade / Meio
Fundo e Fundo de várias linhas de pombos que tenho adquirido um pouco por toda a Europa.
Predominantemente os meus pombos são direcionados mais para provas de Meio-Fundo de
médias baixas. Tento “fabricar” pombos com um grande índice de resistência e inteligência
(radar), baseado nos feitos dos familiares dependendo das especialidades.

Que mensagem gostava de deixar aos columbófilos que estiveram a competir em Mira?
Nunca desistam do sonho de vencer esta competição! É uma sensação mágica e única…

Sérgio Almeida no seu pombal

Miguel Mestre: “Vencer o Campeonato da Europa é uma das melhores experiências de um columbófilo”

Ver a imagem de origem

Poder ganhar uma prova tão importante como o Campeonato Europeu que se realiza em Mira, com o prestígio que tem e a dificuldade que isso implica, é o sonho de muitos columbófilos europeus

Miguel Àngel Veny Mestre, vencedor do Campeonato Europa Mira 2020

Miguel Àngel Veny Mestre sagrou-se campeão da Europa em Mira 2020. A participar pela segunda vez nesta competição, diz que vencer um campeonato da europa é o sonho de muitos columbófilos e uma das melhores experiências que um apaixonado pela modalidade pode ter. Leia a entrevista que o columbófilo de Maiorca, Espanha, deu à Federação Portuguesa de Columbofilia, no rescaldo de Mira.

FPC – Que expetativas tinha quando decidiu inscrever este pombo-correio nos campeonatos de Mira?

Miguel Àngel Veny Mestre – O pombo vencedor do Campeonato da Europa era o meu pombo favorito da equipa presente em Mira. Era um pombo que já tinha qualidades excecionais de equilíbrio, asa, força, vitalidade… e foi por isso que decidi inscrevê-lo no Campeonato da Europa. Além disso, é de uma linha que me deu muitas alegrias, tanto em derbys como no meu pombal.
Por isso, registei-o com a intenção de poder ganhar o campeonato, embora sabendo da dificuldade de ganhar um campeonato europeu, frente a grandes columbófilos de toda a Europa, e como é difícil obter um bom resultado em Mira, onde competem os melhores columbófilos e pombos de grande qualidade.

Que importância tem este resultado para a si?

É o resultado mais importante da minha carreira desportiva na Columbofilia. Poder ganhar uma prova tão importante como o Campeonato Europeu que se realiza em Mira, com o prestígio que tem e a dificuldade que isso implica, é o sonho de muitos columbófilos europeus. Portanto, ser capaz de viver esse sonho é uma das melhores experiências que pode acontecer a um columbófilo.

Foi a primeira vez que esteve representado na competição de Mira? Acompanhou a prova?

Esta foi a minha segunda participação no Campeonato da Europa, em Mira. Em 2019 participei pela primeira vez e fui o 32º. Em 2020, na minha segunda participação tornei-me campeão europeu! Curiosamente, o pombo de 2019 e o de 2020 são irmãos.
Acompanhei a prova através da transmissão por Facebook. Estava entusiasmado com a possibilidade de estar presente na final, mas devido à pandemia Covid-19 não foi possível viajar para Portugal.

Que opinião tem sobre os Campeonatos Internacionais de Columbofilia, realizados em Mira desde 1997?

Os campeonatos internacionais realizados em Mira são atualmente campeonatos muito prestigiados, conhecidos em todo o mundo, e nos quais os melhores columbófilos competem.
Na minha opinião, em Mira, faz-se uma boa gestão dos campeonatos, com uma preparação muito boa dos pombos, planeando à solta, e com a melhor comunicação com os participantes. Por tudo isto, é um dos melhores derbys do circuito internacional.

Ver a imagem de origem

Os campeonatos internacionais realizados em Mira são atualmente campeonatos muito prestigiados, conhecidos em todo o mundo, e nos quais os melhores columbófilos competem.

No futuro pretende voltar a competir em Mira?

 Sim, espero estar presente em 2021 em Mira, para poder voltar a disputar o Campeonato da Europa, com a esperança de voltar a ter um bom resultado.

Quais são as características que, no seu entender, mais se evidenciam nos seus pombos?

Na minha opinião, os meus pombos são pombos que se adaptam muito bem às diferentes circunstâncias e podem alcançar um bom nível tanto em soltas rápidas como em longas e difíceis.
O meu pombal está localizado em Maiorca (Espanha), que é uma ilha, e, portanto, quando solto os pombos eles voam sobre o mar, que é um elemento que coloca uma vantagem de dificuldade para os pombos. Na nossa Columbofilia, os pombos devem ser capazes de ser rápidos quando as circunstâncias o exigem, mas também ser tenazes e resistentes quando as soltas são complicadas devido a situações climáticas adversas, que sobre o mar são mais extremas do que em terra.

Que mensagem gostava de deixar aos columbófilos que estiveram a competir em Mira?
Este ano de 2020, como é habitual, houve uma grande competição para vencer os campeonatos internacionais de Mira. Todos os columbófilos que participaram estiveram a um grande nível e permitiram que a competição em Mira fosse tão bonita. É por isso que encorajo todos os columbófilos que participaram neste 2020, e aqueles que não participaram, a participarem em 2021.

Miguel Àngel Veny Mestre no seu pombal, em Maiorca

Mira 2020: Mais dois lotes de pombos em leilão

A Federação Portuguesa de Columbofilia já deu início ao leilão de mais dois lotes de pombos participantes na edição 2020 dos Campeonatos Internacionais de Mira.


O Lote I está disponível até às 22H00 da próxima terça-feira, dia 1 de dezembro. O Lote J fecha à mesma hora do dia seguinte (quarta-feira, dia 2 de dezembro).

Conheça os pombos, as performances, os pedigrees e veja as fotografias em: http://www.fpcolumbofilia.pt/Mira2020/main184.htm

Não se esqueça que se ainda não está registado como licitador na Federação Portuguesa de Columbofilia deve inscrever-se através do formulário disponível em: http://www.fpcolumbofilia.pt/Mira2020/main181.htm


Comprove a qualidade destes exemplares provenientes de consagrados columbófilos e escolha o seu próximo campeão!

Federação disponibiliza mais de 70 mil euros para apoio à estrutura columbófila

Tendo em conta os tempos de incerteza que se vivem atualmente, decorrentes da pandemia Covid 19, e cumprindo a sua função de salvaguarda da modalidade, a Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) decidiu implementar um conjunto de medidas de apoio à estrutura columbófila. Para tal, vai disponibilizar uma verba superior a 70 mil euros.

A decisão foi tomada em reunião da Direção, no dia 19 de novembro, e contempla os seguintes apoios:

  1. Atribuir a todas as coletividades um subsídio no montante de 50% do valor da quota federativa paga por cada um dos seus sócios;
  2. No âmbito dos Campeonatos de Mira 2021, na Liga dos Campeões, fazer reverter para as coletividades de origem dos columbófilos, 50% do valor do leilão do respetivo borracho, sempre que o mesmo atinja um valor igual ou superior a 150€;
  3. Disponibilizar às associações distritais a plataforma de leilões on-line da FPC, que se encontra em processo de adaptação e modernização;
  4. Manter o apoio anual direto aos sócios que pontualmente passem por dificuldades financeiras.

” Esperamos que com estas medidas possamos amenizar as dificuldades financeiras de toda a estrutura columbófila. Vamos resistir, cuidando da saúde de cada um de nós, cuidaremos da saúde de todos”, afirma a Direção da FPC em comunicado que pode ser consultado na íntegra aqui.

A Direção sublinha que “este conjunto de medidas significa um grande esforço financeiro da FPC, na ordem dos 70.000 € em despesa direta, ao qual acrescerá o valor de leilões de associações e receitas dos leilões da Liga dos Campeões”.

A decisão de criar este pacote de medidas de apoio teve em conta a instabilidade causada pela Covid-19 que se deverá arrastar tendo impacto na campanha 2021. Além de dificuldades organizativas, a pandemia acarreta um conjunto de despesas adicionais às coletividades, motivado pelas necessárias medidas de proteção da saúde de cada um dos praticantes.

A Direção da FPC chama também a si a responsabilidade de estar atenta às dificuldades dos columbófilos, sendo uma das suas mais primordiais funções a salvaguarda do desporto columbófilo.

A implementação de tais medidas só é possível graças a uma “estabilidade financeira” que salvaguarda a instituição de “eventuais contratempos” e é resultado de uma “cuidada gestão”, esclarece a Direção da FPC. Muito contribui também o facto de Mira se constituir como “um enorme sucesso desportivo e económico”, com os respetivos leilões a decorrerem dentro das expectativas.

Lara Rodrigues: columbófila campeã aos nove anos

Foi a primeira classificada da Liga Nacional de Jovens, nos Campeonatos Internacionais de Columbofilia Mira 2020. Lara Silva Rodrigues tem nove anos, é de Pombal e já dá cartas na modalidade. A participar pela quarta vez nos campeonatos de Mira, a columbófila viu o seu pombo 0404103/20 chegar em 29º lugar da tabela geral e sagrou-se campeã nacional de jovens.

Apesar da tenra idade, a jovem que concorre pelo Grupo Columbófilo de Pombal, assim como o pai, Marco Rodrigues, mostra-se confiante nos passos que quer dar e deixa a todos palavras de incentivo para que nunca desistam da paixão pela Columbofilia.

Lara Silva Rodrigues com o pai Marco Rodrigues, também columbófilo

1- Que expetativas tinha quando decidiu inscrever este pombo-correio nos campeonatos de Mira? As espectativas … sinceramente era para ganhar o primeiro prémio, mas o derby de Mira, já nos demonstrou em anos anteriores que é muito difícil.

2- Que importância tem este resultado para a si? Este resultado é o melhor que me podia acontecer até ao momento. Fiquei muito contente!

3- Foi a primeira vez que esteve representado na competição de Mira? Acompanhou a prova? Já é o quarto ano consecutivo que participo, em 2018 obtive o terceiro lugar neste campeonato. Sim, acompanhei a prova através do Facebook e os resultados através do site da FPC. Queria também aproveitar para agradecer o envio das SMS por parte da FPC na prova final e nos treinos.

4- Que opinião tem sobre os Campeonatos Internacionais de Columbofilia, realizados em Mira desde 1997? Tenho-os acompanhado mais desde que participo, e nestes últimos anos penso que tem tido mais divulgação a nível nacional e internacional, com os diversos campeonatos que implementaram, este ano devido à situação epidemiológica foi muito bem organizado.

5- No futuro pretende voltar a competir em Mira? Sim, se nenhum imprevisto acontecer, em 2021 lá estarei.

6- Quais são as características que, no seu entender, mais se evidenciam nos seus pombos? Nos meus pombos a característica que mais se evidencia é a qualidade em provas de meio-fundo.

7- Que mensagem gostava de deixar aos columbófilos que estiveram a competir em Mira? Aos columbófilos que estiveram a competir em Mira a mensagem para os que ganharam é felicitá-los, e aos vencidos, aconselhá-los a não desistir e a competir nos anos seguintes, porque um dia há-de ser o seu!

Lara Silva Rodrigues mostra-se feliz com o resultado alcançado