Regulamento para a prática desportiva na Columbofilia – Covid19

A Federação Portuguesa de Columbofilia informa que, em cumprimento da Orientação 0036/2020, de 25/08/2020, da Direcção-Geral da Saúde, elaborou e publicou o Regulamento para a Prática Desportiva na Columbofilia – Covid-19, disponível em:

http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2352

O documento visa orientar e implementar medidas específicas e contextualizadas para a prática do desporto columbófilo, em ambiente de treino e de competições, em conformidade com o risco de transmissão e exposição à Covid-19.

As normas do Regulamento aplicam-se a todas as coletividades, clubes, associações distritais e regionais, columbódromos e seus proprietários, promotores de espetáculos desportivos e organizadores de competições desportivas, agentes desportivos e funcionários de apoio que, a qualquer título ou por qualquer motivo, exerçam funções ou desempenhem a sua atividade no âmbito das competições tuteladas pela Federação Portuguesa de Columbofilia.

O documento contempla regras para treinos e competições, encestamentos, entregas de constatadores, gestão de columbódromos, carregamentos, transporte de pombos e delegados de solta. É ainda incluída a referência ao plano de contingência e ao termo de responsabilidade, bem como ao impedimento da presença de público nos eventos desportivos e à forma de atuar perante a existência de um caso suspeito.

De referir que a Columbofilia é considerada uma modalidade de baixo risco, de acordo com o algoritmo de estratificação constante do Anexo 2 da referida Orientação n.º 036/2020 da DGS que pode ser consultada em:

https://www.dgs.pt/normas-orientacoes-e-informacoes/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0362020-de-25082020.aspx

Mantenha-se atualizado em relação aos procedimentos a seguir.

A segurança de todos está nas mãos de cada um!

Alterações na época desportiva 2021

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) decidiu ouvir os columbófilos, através de um inquérito divulgado no Facebook , sobre o futuro da columbofilia durante e após a pandemia de Covid-19. Nesse sentido, e depois de analisar as respostas dos participantes, foram tomadas algumas decisões relativas à época desportiva 2021.

No referido questionário, foram sugeridas várias alterações ao modelo desportivo. No entanto, e independentemente do mérito das ideias recolhidas, a Direção da FPC entende que, no atual contexto de contenção financeira, seria um contrassenso implementar todas estas medidas, parte das quais envolvem mais custos para os concorrentes e para a estrutura columbófila. Ainda assim, a FPC reconhece que é possível fazer alterações pontuais, no sentido de aproximar o modelo competitivo às pretensões transmitidas pelos columbófilos.

A Direcção da FPC decidiu, então, retirar o limite de 130 pombos por equipa e alterar o número limite de pombos a enviar a fundo, no campeonato do columbófilo, de 15 para 20 (modelo 25-25-20).

Além disso, a Direção da FPC manter-se-á atenta às necessidades da estrutura columbófila para que os columbófilos possam continuar a concorrer em condições de segurança sanitária e, sempre que necessário, colocará os bens angariados no projeto Asas Solidárias à disposição dos que deles necessitem.

A FPC está ainda a analisar e estudar formas de mitigar as dificuldades financeiras dos columbófilos mais afetados pela conjetura económica decorrente da pandemia.

RESULTADOS DO QUESTIONÁRIO ONLINE

Futuro da Columbofilia durante e após a pandemia COVID-19

Durante cerca de três semanas, a Federação Portuguesa de Columbofilia colocou online o questionário “O Futuro da Columbofilia durante e após a pandemia COVID-19”, com o intuito de recolher a opinião dos columbófilos sobre formas de ultrapassar os novos desafios que se colocam à modalidade e reforçar a competitividade do desporto nos próximos anos.

Das respostas recolhidas, destacam-se as seguintes temáticas, com maior número de referências:

  • Cuidados sanitários para evitar a propagação da Covid-19;
  • Aumento do número de provas, com vista ao estabelecimento de campeonatos de especialidade (com eventual manutenção do campeonato geral, através de designação de provas);
  • Redução de custos para os sócios;
  • Igualar o número de pombos a enviar por especialidade;
  • Retirar o limite de 130 pombos por equipa;
  • Realização de mais provas nacionais (possivelmente com soltas distintas);
  • Terminar ou limitar o número de pombos extra a contar para o pombo ás e/ou pombos a treino

Nos gráficos em baixo, pode visualizar o perfil dos participantes:

A FPC agradece a todos os que se disponibilizaram a colaborar e continuará atenta às necessidades de todos os columbófilos tendo em vista o engrandecimento da modalidade.

Pensar a Columbofilia pós Covid-19: FPC lança inquérito

Reconhecendo que a pandemia provocada pela Covid-19 colocou novos desafios à prática da modalidade, a Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) preparou um questionário para que todos os columbófilos possam dar o seu contributo.

A FPC acredita que este é “o tempo de pensar o futuro da Columbofilia” e apela à participação de todos os columbófilos.

Como ultrapassar os desafios pós Covid-19 e reforçar a competitividade do desporto columbófilo nos próximos anos são algumas das questões em análise. A intenção da FPC é que as opiniões fundamentadas e construtivas sejam apresentadas publicamente e discutidas em Congresso.

O inquérito, que poderá respondido sob anonimato se os participantes assim o entenderem, está disponível em: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSed9WlajwLuhUPxU_4YJb5ErLDp2VplubRfP3YGU05kzJiUwA/viewform

Com esta iniciativa, a FPC pretende não só alargar a discussão sobre o futuro do desporto columbófilo, mas também permitir o envolvimento de todos em decisões que serão fundamentais para a forma como a modalidade vai encarar os desafiantes tempos que se avizinham.

Columbofilia regressa à competição

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 40-A/2020, de 29 de Maio, veio permitir o regresso à competição a partir de 1 de Junho de 2020, depois da interrupção devido à pandemia de Covid-19. Nesse sentido, devendo assegurar-se o cumprimento das regras previstas na legislação em vigor, bem como as determinadas pelas orientações da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Em comunicado emitido esta quarta-feira, 3 de Junho, a Federação Portuguesa de Columbofilia informa que “prestará toda a colaboração que se revelar útil às Associações e Coletividades nesta fase de adaptação, principalmente para a identificação das ações necessárias para mitigar a propagação da pandemia”.

A FPC divulgou ainda o Plano de Contingência atualizado, que está disponível em:
http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2338

E as orientações da Direcção-Geral da Saúde, afirmando que devem ser “escrupulosamente seguidas”:
http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2339

No documento, a Direção da FPC salienta que as orientações divulgadas não substituem a legislação em vigor e as regras e orientações que vão sendo publicadas pela Direção-Geral da Saúde, recomendando a todos o acompanhamento permanente do site da Direção-Geral da Saúde.

A FPC aproveita ainda para desejar “um feliz regresso à competição columbófila, relembrando que cabe a todos garantir o cumprimento das regras de saúde pública”.

Desafio da Quarentena chega ao fim

O Desafio da Quarentena – #pigeonscovidchallenge – lançado pela Federação Portuguesa de Columbofilia a 9 de abril de 2020 chegou ao fim cerca de um mês depois, sagrando-se um verdadeiro sucesso.

A iniciativa foi criada para incentivar e aproximar os columbófilos no período de isolamento, devido à pandemia provocada pelo vírus SARS-CoV-2 (Covid-19). Até ao dia 4 de maio, o desafio contou com mais de uma centena de participações, entre fotografias e vídeos, que mostraram que a Columbofilia está bem viva, continua a unir gerações e a despertar paixões em pequenos e graúdos.

Entre os participantes, a FPC registou columbófilos de norte a sul do país, mas também das ilhas e até do estrangeiro, nomeadamente Luxemburgo e Suíça. Inicialmente a FPC determinou que o vídeo mais original e a foto mais criativa ganhariam a inscrição de um pombo no Grand Prix, a disputar em Mira, no valor de 100€. No entanto, tendo em conta o êxito do #pigeonscovidchallenge e a dificuldade em escolher apenas uma entre tantas imagens fantásticas, a federação decidiu colocar à votação do público cinco fotografias e cinco vídeos finalistas, deliberando também atribuir o prémio não só ao primeiro classificado de cada categoria (foto e vídeo), mas também ao segundo.

A votação foi contabilizada através do número de likes obtidos até às 24H00 de domingo, dia 10 de maio de 2020 em cada fotografia e vídeo finalistas.

Os vencedores foram:

Categoria de Fotografia

1ºprémio Foto 1 – André e Jorge Farinha – 309 votos
2.ºprémio Foto 4 – João Paulo Valente – 289 votos

Restantes classificações:
3º Foto 2 – Avelino Gouveia – 184 votos
4º Foto 3 – Carvalho e Figueiredo – 44 votos
5º Foto 5 – Mário Carlos Areosa – 32 votos

Veja aqui todas as fotografias participantes:

Vídeo
1º prémio Vídeo 2 – Cesário & Abílio Pereira – 460 votos
https://www.facebook.com/1173090142871618/videos/237957584212013/

2ºprémio Vídeo 3 – João Paulo Valente – 336 votos
https://www.facebook.com/1173090142871618/videos/1342188542638205/

3º Vídeo 4 – Marco Ferreira – 270 votos
4º Vídeo 5 – Rafael e Marco Maciel – 133 votos
5º Vídeo 1 – António Livramento – 7 votos

Veja aqui todos os vídeos:

https://www.facebook.com/pg/Federação-Portuguesa-de-Columbofilia-1173090142871618/videos

A Federação Portuguesa de Columbofilia agradece a todos os que participaram, votaram e partilharam as fotografias e vídeos e permitiram invadir as redes sociais de imagens incríveis, neste período de confinamento, mostrando que a Columbofilia é uma paixão única e que ultrapassa todas as barreiras.

Equipamento de proteção entregue às associações

No âmbito do projeto Asas Solidárias, foi entregue esta segunda e terça-feira, dias 04 e 05 de maio, o equipamento de proteção individual que visa reforçar a segurança de todos os columbófilos no reinício da atividade desportiva, após o levantamento do estado de emergência, que esteve em vigor devido à Covid-19.

Com o apoio das empresas GPLoft, Benzing, Pedro Porto e da equipa Sobrinca, foi possível proceder à entrega de viseiras de proteção individual e álcool gel desinfetante de mãos a todas as associações columbófilas. O equipamento será canalizado pelas referidas associações para as diversas coletividades.

A FPC continua a trabalhar com os seus parceiros no sentido de reforçar as medidas de segurança, lembrando que cabe a cada um garantir a sua proteção e a dos que o rodeiam e sublinhando que é imperativo seguir as recomendações das autoridades de saúde e o Plano de Contingência implementado pela FPC.

Época desportiva recomeça a 4 de maio

A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) anunciou o reinício da época desportiva a partir de segunda-feira, dia 4 de maio de 2020, com as primeiras provas distritais a ocorrerem no fim de semana seguinte (9 e 10 de maio). No entanto, de 1 a 3 de maio, estão expressamente proibidos todo o tipo de treinos, coletivos ou individuais.

Num comunicado, que pode ser lido na íntegra aqui, a Direção da FPC recordou o “longo caminho” feito desde a suspensão das provas, a 16 de março de 2020, até à data. Num mês e meio, a Federação dinamizou “iniciativas de convivência digital”, através do Facebook, para manter o ânimo de todos os columbófilos, definiu, em conjunto com entidades acreditadas, um plano de contingência, adequando a prática da columbofilia ao atual contexto sanitário, e lançou o projeto Asas Solidárias, em parceria com entidades nacionais e internacionais, com o objetivo imediato de angariação de equipamento de proteção individual (EPI) para os columbófilos portugueses.

“Permitam-nos, neste momento, manifestar o nosso orgulho e felicidade em ver reconhecida, junto das autoridades, a competência organizativa da nossa estrutura, assim como a sua capacidade de adaptação às circunstâncias, o que veio a possibilitar o reinício da atividade desportiva que agora anunciamos”, lê-se no documento.

A direção da FPC agradece ainda às Associações Distritais “o apoio e contributos concedidos ao longo deste processo”, assim como a todos os praticantes que “cumpriram as regras e inevitáveis restrições que foram definidas durante o período de suspensão da época desportiva”. Contudo, a instituição não deixa de reprovar “atitudes egoístas e antidesportivas de uma minoria que, efetuando treinos “em linha”, desrespeitou as regras federativas e recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), colocando em risco o reinício da prática desportiva para todos os praticantes”.

A Federação Portuguesa de Columbofilia apela ao “cumprimento rigoroso das regras estabelecidas”, sublinhando que “caberá a cada um de nós cumprir e fazer cumprir essas regras, para que o reinício tenha o sucesso que todos desejamos, com a segurança de que todos necessitamos”.

Consulte o Plano de Contingência de implementação obrigatória em: http://www.docs.fpcolumbofilia.pt/ViewItem.aspx?ID=2331.

“Asas Solidárias” entrega material de proteção às coletividades columbófilas

O projeto Asas Solidárias já levantou voo!
A Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), com a colaboração de várias empresas, vai começar a distribuir, na primeira semana de maio, álcool gel desinfetante e viseiras de proteção às coletividades columbófilas de todo o país.

Numa primeira fase, cada coletividade vai receber dois litros de álcool gel e cinco viseiras.

Refira-se que o Asas Solidárias é o projeto de solidariedade da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), criado na sequência da pandemia de Covid-19, para, no imediato, responder à necessidade de angariação de material de proteção individual (como máscaras, luvas e viseiras) para os columbófilos portugueses.

Para responder às orientações transmitidas pelas autoridades nacionais e garantir a prática da modalidade em segurança, a FPC já implementou um Plano de Contingência exigente, que obriga todos os columbófilos à utilização de material de proteção individual.

Porque juntos voamos mais longe, o Asas Solidárias está a ser desenvolvido pela FPC em estreita ligação com diversas entidades e empresas com o objetivo de angariar o material de proteção individual necessário.

No âmbito do Asas Solidárias, a FPC estabeleceu recentemente uma parceria com a GPLoft que irá realizar um leilão solidário no final do mês de maio. Foi ainda criado o selo “Eu apoio a Columbofilia Nacional” / “I Turn ON with GPLoft” que será colocado nos leilões GPLoft dos columbófilos ou entidades que disponibilizarem 5% do valor obtido para esta causa.

Outras empresas e entidades já se associaram a esta iniciativa, como a Pedro Porto, Lda, a Benzing e a equipa Sobrinca.

Seja também parceiro, em nome individual ou empresarial! Se tem como apoiar esta causa, contacte a FPC através do email asas.solidarias@fpcolumbofilia.pt e diga-nos como pode ajudar os columbófilos portugueses.

Cada coletividade vai receber cinco viseiras

Federação lança projeto “Asas Solidárias”

O Asas Solidárias é o projeto de solidariedade da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC), criado na sequência da pandemia de Covid-19, para, no imediato, responder à necessidade de angariação de material de proteção individual (como máscaras, luvas e viseiras) para os columbófilos portugueses.

Porque juntos voamos mais longe, o Asas Solidárias está a ser desenvolvido pela FPC em estreita ligação com diversas entidades e empresas com o objetivo de angariar, com a maior brevidade possível, o material de proteção individual necessário.

Para responder às orientações transmitidas pelas autoridades nacionais e garantir a prática da modalidade em segurança, a FPC já implementou um Plano de Contingência exigente, que obriga todos os columbófilos à utilização de material de proteção individual.

No âmbito do Asas Solidárias, a FPC estabeleceu recentemente uma parceria com a GPLoft que irá realizar um leilão solidário no final do mês de maio. O valor angariado reverterá para aquisição de material de proteção e de constatadores eletrónicos para apoio à evolução tecnológica. Foi ainda criado o selo “Eu apoio a Columbofilia Nacional” / “I Turn ON with GPLoft” que será colocado nos leilões GPLoft dos columbófilos ou entidades que disponibilizarem 5% do valor obtido para esta causa.

Outras empresas já se associaram a esta iniciativa, como a Pedro Porto, Lda com a oferta de cerca de 500 litros de gel desinfetante e a disponibilização de máscaras a preço de custo, assim como a Benzing com a entrega de 10 constatadores BENZING Express G2 prontos a usar e 100 licenças Pedigree 1 ano.

No futuro, o projeto Asas Solidárias pretende abraçar outras iniciativas de auxílio aos columbófilos ou à sociedade civil em geral desenvolvidas pela FPC e seus parceiros.

Neste momento, os equipamentos mais necessários são máscaras de proteção, luvas, viseiras, batas e desinfetantes, tanto de mãos como para limpeza das instalações e dos materiais utilizados.

Seja também nosso parceiro, em nome individual ou empresarial! Se tem como apoiar esta causa, contacte a FPC através do email asas.solidarias@fpcolumbofilia.pt e diga-nos como pode ajudar os columbófilos portugueses.

Com o seu apoio, vamos voar mais alto!

Mais informação em: http://www.fpcolumbofilia.pt/AsasSolidarias/

Federação implementa Plano de Contingência com medidas obrigatórias para o reinício da época

A Federação Portuguesa de Columbofilia aprovou um Plano de Contingência com medidas de caráter obrigatório e que entrarão em vigor assim que seja determinado o reinício da época desportiva 2020.

O plano, que está disponível para consulta em Plano de Contingência – COVID-19, foi elaborado pela Medisigma, empresa acreditada em Medicina, Higiene e Segurança no Trabalho, em estreita colaboração com a Federação Portuguesa de Columbofilia e diversas entidades da área da Saúde.

O cumprimento das normas estabelecidas neste plano é de carácter obrigatório, a partir do reinício da época desportiva 2020. Refira-se que as provas se encontram suspensas e ainda não foi definida uma data para que se voltem a realizar. No entanto, a Federação Portuguesa de Columbofilia acredita que a atividade columbófila poderá ser retomada na primeira quinzena de maio e está a desenvolver todos os esforços para que isso venha a acontecer, com o máximo de segurança para os praticantes.

Ainda face à suspensão da época desportiva 2020, tornou-se necessário adaptar o Regulamento Desportivo Nacional, em especial no que respeita ao número de provas que compõem os campeonatos de especialidade e o campeonato geral, bem como à adaptação do Regulamento dos Campeonatos Nacionais 2020.

Nesse sentido, a Direcção da Federação Portuguesa de Columbofilia, em reunião de 20 de abril, deliberou aprovar normas transitórias e excepcionais para a época desportiva de 2020. Clique no link para conhecer o documento onde constam as alterações efetuadas.