Nelson António Queirós Neiva, teve o 1º pombo com a melhor média na prova nacional de Valência Del Cid, no distrito de Viana do Castelo, com o pombo nº 6454525/16.

Nelson Neiva.jpg

Nelson António Queirós Neiva, teve o 1º pombo com a melhor média na prova nacional de Valência Del Cid, no distrito de Viana do Castelo, com o pombo nº 6454525/16.

Como e quando é que decidiu entrar para o “mundo” da columbofilia?

NN – Sou columbófilo há 27 anos e o meu interesse por este desporto foi despertado pelo meu primo que me convidava a ver a chegada dos pombos. A partir daí, o bichinho entrou e decidi entrar neste desporto para me sentir ocupado nos tempos livres.

Olhando para a solta do dia 2 de junho, o que pensa desta prova nacional de fundo de âmbito nacional organizada pela FPC? Que balanço faz?

NN – O balanço foi bastante positivo, o tempo ajudou e dos 6 pombos que enviei chegaram 4.

Qual é a sensação de ter ganho o 1º pombo distrital numa prova com esta dimensão?

NN – Foi extraordinário, uma vez que no meu clube e no distrito existem columbófilos muito melhores do que eu. Como não tenho muito tempo para treinar os pombos, só posso dizer que fiquei muito feliz por a minha pombinha ter marcado à frente de todos os outros.

Que tipo de preparação fez aos seus pombos para esta prova?

NN – A melhor preparação é treinar bem os pombos, estarem de boa saúde e principalmente ter uma boa alimentação.

Os meus pombos na segunda e na terça-feira voam o máximo 45 minutos e na quarta-feira já podem voar uma hora.

Em relação à alimentação para este tipo de provas, de segunda a quarta-feira dou comida normal mas de forma controlada, apenas o suficiente para não terem fome. Na quarta-feira de tarde já começo por juntar um pouco de milho e comem até querer. Na quinta-feira de manhã, antes o encestamento, comem uma comida mais grossa.

No dia do encestamento junto sempre as fêmeas aos machos, cerca de 30 minutos, para ficarem mais motivados a regressarem ao pombal.

Acha que a Federação Portuguesa de Columbofilia deve continuar a organizar as provas de fundo de âmbito nacional (soltas únicas e conjuntas) com partida em Valência?

NN – Concordo que a FPC deve continuar a organizar as provas de fundo de âmbito nacional. Apenas fico um pouco triste porque penso que os critérios de avaliação deveriam ser outros, porque uns pombos voam 500 a 600 km enquanto que o meu teve de voar mais de 700 km.

A equipa Barroso & Ruben, teve o 1º pombo com a melhor média na prova nacional de Valência Del Cid, no distrito de Portalegre, com o pombo nº 5402477/15.

Barroso & Ruben.jpg

A equipa Barroso & Ruben, teve o 1º pombo com a melhor média na prova nacional de Valência Del Cid, no distrito de Portalegre, com o pombo nº 5402477/15.

Como e quando é que decidiu entrar para o “mundo” da columbofilia?

B&R: Há 48 anos o meu avô decidiu entrar no “mundo” da columbofilia pois um seu vizinho tinha pombos e concorria. Então ele começou a gostar deste desporto e começou a concorrer também. Já eu, decidi começar por causa do meu avô que percebeu que eu gostava dos pombos e de tratar deles, e como ele já não concorria há alguns anos (15 anos por motivos profissionais) decidimos criar a sociedade e começar a concorrer na Sociedade Columbófila de Elvas.

Olhando para a solta do dia 2 de junho, o que pensa desta prova nacional de fundo de âmbito nacional organizada pela FPC? Que balanço faz?

B&R: Acho que é bom organizarem este tipo de provas pois faz com que os columbófilos e as associações mostrem o seu valor na columbofilia, fazendo por isso um balanço positivo.

Qual a sensação de ter ganho o 1º distrital numa prova com esta dimensão?

B&R: Fazer um 1º a nível distrital tem um sabor muito especial, sendo uma grande recompensa por este e por todos os anos de trabalho anteriores.

Que tipo de preparação fez aos seus pombos para esta prova?

B&R: A preparação foi a habitual, alimentação controlada diariamente e boa preparação física durante a semana para que no dia da prova os pombos estejam em perfeitas condições de a realizar.

Acha que a FPC deve continuar a organizar as provas de fundo de âmbito nacional (soltas únicas e conjuntas) com partida em Valência?

B&R: Acho que sim, pois ao ser a nível nacional, junta um número elevado de pombos e depois podemos tirar ilações sobre os nossos atletas.