Pombos portugueses já estão na Hungria

A Seleção Portuguesa de Columbofilia Standard chegou a Budapeste, na Hungria, para a participação nas XXXVII Olimpíadas Columbófilas. Os pombos foram alimentados e abeberados no recinto e serão avaliados este sábado, 5 de fevereiro.

Portugal faz-se representar também através do juiz olímpico Luis Pepe, que participou numa reunião de preparação para a avaliação.

O presidente da Federação Columbófila Internacional (FCI), István Bardos, agradeceu a presença de todos, apesar das dificuldades impostas pela pandemia. Ao todo, estão representados 15 países.

A Federação Portuguesa de Columbofilia deseja boa sorte a todos os participantes, particularmente aos nacionais.

Veja as fotografias:

Olimpíadas adiadas para 2022

A Federação Columbófila Internacional (FCI) comunicou à Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) a decisão de adiamento das XXVII Olimpíadas de Columbofilia, previstas para janeiro de 2021, estando agora a sua realização calendarizada para janeiro de 2022, na Roménia.

A decisão deve-se ao atual contexto causado pela pandemia de Covid-19, que tem levantado constrangimentos aos desporto columbófilo em todo o mundo.

A FCI informou que os ajustes às fórmulas de apuramento ainda estão em estudo, sendo possível que o cálculo venha a ter em conta as classificações obtidas nos anos 2019 e 2021, em substituição dos habituais dois anos que antecedem as olimpíadas.

Destacando o período difícil que a columbofilia atravessa em todo o mundo, com o cancelamento de provas, o presidente da FCI, Istvan Bardos, considera que a organização do Campeonato Mundial FCI em Arad, na Roménia, e do Campeonato Europeu FCI em Mira, Portugal, é o primeiro raio de esperança para o desporto, depois de meses em que todos os esforços se concentraram em lutar contra o vírus e salvar vidas.

“O vírus e a pandemia fizeram-nos perceber que não estamos sozinhos, que nos apoiamos e que a solidariedade entre os columbófilos e os líderes das federações é muito forte”, conclui o responsável máximo da FCI, sublinhando que agora é tempo “da FCI e das federações nacionais prepararem a Columbofilia pós-Covid-19”.